fotos de arquivo

sábado, 20 de maio de 2017

Revista Piauí, capa de maio de 2017

                                                         Divulgo e deixo aos leitores as inúmeras
                                                         leituras que a imagem desta capa histórica
                                                         nos traz! 

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Atenção:

Muitas cabeças vão rolar.

Não se sabe ao certo o rumo que teremos nos dias que virão.
Momentos sombrios desvendam os nós que escondiam os fatos.
Caem as máscaras.

Nas ruas escutei restos de conversas:
"Não há direção!"
"Vamos pedir pra voltar para o dia de ontem que era melhor."

Os homens de terno estão sérios. Os porteiros dos prédios também.
Não estamos na época da guilhotina, mas muitas cabeças vão rolar...
Na TV dizem: "precisamos blindar a economia."

Muitas cabeças vão rolar!


Rio de Janeiro, 18.05.2017

O céu é cinza e o país sombrio...


                                             Fotos feitas por mim, hoje, 18.05.2017

sábado, 13 de maio de 2017

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Do livro Oito noites em Veneza

                                                                *

     Monet pintou 37 telas em Veneza. Sua mulher, Alice,
conta em algumas cartas que eles chegaram a Veneza no mês 
de outubro de 1908 pela primeira e última vez. As visitas aos 
palácios e a vida em detalhes são relatadas à filha Germaine. 
As horas corriam nos pincéis de Monet, muitas vezes 
pintando no canal à tarde e, depois, desdobrado, debruçado
na janela do quarto. Permanecia incansável apesar da idade.
     Alguns afirmam que Monet permaneceu em Veneza em 
sua pintura. Com ninfeias ou não, seus quadros colorem de 
azuis e vermelhos os Crepúsculos de Veneza. (...)

Pgs 30-31.



segunda-feira, 8 de maio de 2017

Em maio de 2017

Pergunto a mim mesma:

Por que, aqui no Brasil, não se fala sobre os problemas graves que acontecem com os jovens e as crianças em geral?
Por exemplo, não se comenta os problemas sérios que os celulares causam ou podem vir a causar às crianças pequenas. 
Escutei, aqui mesmo no Rio de Janeiro, que os médicos que tratam de câncer em crianças em geral  
temem o uso dos celulares enquanto as crianças estão em formação. Mas, parece que este assunto tão sério não interessa à mídia. Por que será? Mas a incidência de câncer infantil cresceu muito!
Escutei, também, que em um país europeu bem adiantado estão colocando as meninas e os meninos, os bem jovens e os adolescentes informados sobre os danos causados pelo álcool. O programa instalado nos colégios tem conseguido reduzir enormemente o uso do álcool entre os jovens.
Porém, por aqui, não circula nada sobre isso.
Insistimos em priorizar os eventos em vez de inserir na nossa educação a importância dos cuidados com o corpo, com a nossa saúde, ensinando-nos a pensar.
O pensamento somado à reflexão nos dá a chance de sermos responsáveis por nós mesmos, e por nossas ações desde cedo na vida. Para isso acontecer precisamos ser informados do mundo ao redor, precisamos conhecer as descobertas da ciência, os estudos e as pesquisas que vão favorecendo ao homem avançar. Não precisamos de qualquer informação, mas precisamos iniciar uma prática, e bem cedo na vida, de leituras sérias que possibilitem aprender a pensar.

Temo pelos nossos jovens que bebem demais, pelas crianças que cedo estão ou estarão adoecendo em função do despreparo de seus pais, que as colocam em contato com as irradiações de aparelhos celulares.
Em um mundo dito civilizado temos visto situações horríveis, inacreditáveis, e ainda somamos neste caldo - quase inumano - todas as informações importantes e sérias, necessárias para a educação de um povo e que poderiam nos ajudar bastante, que não são ditas.



S.R


terça-feira, 2 de maio de 2017

Do livro Canto de sombras, 1997




..................................

Acordo no silêncio
dos começos



Versos do poema "Naturalezas", dedicado a Manoel de Barros

p. 41