terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Livro das areias (inédito)

2.
O livro de Ítalo Calvino O Caminho de San Giovanni apresenta textos voltados para a memória. O autor introduz a ‘lata de lixo’/ ‘la poubelle’ para falar de nossos gestos, os mais inesperados, e que podem vir a ocupar um lugar em nossas vidas diárias que nem sequer notamos.
Somos o que não jogamos fora?
(Retomo a pergunta de Calvino para também indagar sobre o que precisamos reter conosco ou deixar por perto, mesmo que seja para não olhar jamais.)

Na lista das pequeninas coisas e objetos especiais, encontro-me meio desajeitada. Vejamos que nem sempre é fácil listar.
Mas, as palavras que pensam em nós demandam algum trabalho. Assim, que o que me vem à mente, de imediato, são os livros; os muito amados ou os nem tanto.
Onde costumo colocar os que procuro sempre – para ler ou reler – e em que lugares permanecem os livros novos que serão utilizados em estudos ou em textos a escrever?
E os que são ganhos de presente, ou os que quase não agradam?
Na lista, ainda me ocorre dizer que, há coisas difíceis de se desfazer. Por exemplo, nas inúmeras miudezas de uma casa: as linhas já velhas, as agulhas enferrujadas, as tesouras gastas, os alfinetes tortos, os grampos (?), os clipes quebrados, os lápis que desagradam, os cartões esquisitos que recebemos, os jornais já lidos e até os remédios vencidos.
Lembro-me que preparei pequenas surpresas para quem ia catar no lixo as coisas, aquelas que não queremos mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário