terça-feira, 18 de maio de 2010

Correspondência entre J. Paulhan e F. Ponge

Do livro Correspondence 1923-1968, J. Paulhan F. Ponge. ed. Gallimard, 1986.

Carta de 1948, n. 406:

Marie-Louise est morte, plus encore que des brûlures, du remède: transfusions de sang chaque jour, comme pour un jeune aviateur - Mais son coeur a cèdé.
Em tradução livre:
Marie-Louise morreu, mais do remédio que das queimaduras: transfusões de sangue cada dia; como para um jovem aviador - Mas seu coração parou.

E a nota do livro esclarece o que traduzo assim:
A esposa do poeta Henri Michaux foi queimada viva em sua própria casa, ao se aproximar de um radiador usando uma camisa de tecido sintético, ela morreu depois de um mês de sofrimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário