sábado, 29 de outubro de 2011


 
A revista trimestral Action Poétique,
editada em setembro de 2011, traz poetas
do Quebec, da Síria e muitos outros.

A americana Hilda Morley, quase desconhecida,
foi traduzida ao francês por Patrick 
Beurard-Valdoye e Séverine Daucourt-Fridriksson.
(Esta brilhante poeta só foi editada aos 67 anos).

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

* SIBILA *

Leiam no link abaixo, na revista Sibila on line, uma homenagem ao poeta Henri Deluy
e a impressionante viagem do poeta Régis Bonvicino para a China.

* SIBILA *:
www.sibila.com.br

sábado, 22 de outubro de 2011

Poema em dois episódios

1.
Talvez eu tenha escutado da infância
canções tristes de povos da floresta.
Talvez, nos banhos de rios no
Amazonas, a água doce tenha perfurado
minha pele e os ossos
da juventude enrugados
pelo sal do mar
talvez, tenham permanecido
no sopro da meninice.

Mas os sonhos não precisam
dos rios nem do mar.

2.
Saímos do ventre das mães ao mundo.
E por que estamos sempre
na mesma casa,
em torno dos mesmos móveis,
envolvidos nos mesmos gestos?
Cada árvore está no ventre da terra
no ventre da vida.

Nossos sonhos - posso afirmar -
estão a serviço de nossa existência
(e não é difícil acordá-los)!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Poema sem título

Do lado de fora,
                  o frio de outubro
sobre meu rosto.

Dentro deste quarto
o verde das cortinas
             e sob a mesa da sala
             3 peras - soltas - se afastam
da luz brilhante.

No intervalo do
amarelo, amarelo-verde
              e marrom
a transformação da cor
                          não mais nas
aquarelas de
Cézanne.

domingo, 16 de outubro de 2011

Exercício (1)

Sofá de jacarandá. Nos veios amarronzados,
a forma redonda. Flores sugeridas entre o 
aberto e o fechado. Madeira ereta.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

para o poeta Sebastião Uchoa Leite

Não há dentro nem fora
no corpo que habita um
CTI
Efêmero: nuvem

As mãos - entre tubos e agulhas - restam
Brancas iluminam brancas
ao redor

Qual um mosquito
banal
a esperança vai-e-vem

Ruídos batem nas paredes;
uma tv ligada acomoda
um jogo de futebol

Dois técnicos estudam
Madrugada em fragmentos
A mulher da esquerda tosse tosse
engasga e procura oxigênio

Os pensamentos muitos
Aperto mais uma vez o botão
e mais uma vez
(ali, eu me sustento
na consciência
ou quase)!

Um olhar ao redor: cidade de Arles (sul da França)