Somos a favor do porte de livros!
Somos a favor da economia verde!
E vamos dar voz aos nossos índios!

domingo, 9 de dezembro de 2012

Roma, verão de 2011





O tempo, agora inserido no vulgar das palavras e das ações ligeiras, também foi fruto do trabalho do homem e o colocou diante do moderno e do contemporâneo, neste abismo que procuramos contornar. Fragmento, Livro das areias, p. 23.

Nenhum comentário:

Postar um comentário