fotos de arquivo

domingo, 18 de maio de 2014

Poema inédito em livro

Na língua materna


1.

Imagine a solidão de um estrangeiro.

Um árabe. Um chinês.

Um norueguês. Qualquer um.

Um país. Um lugar. Qualquer.

Os olhos. As mãos. Um café.

Um canadense. Um brasileiro.

Um alemão. Um.

Qualquer lugar.

(... e aqui não se fala inglês!)
 

2.

Um árabe procura um café. Está tudo fechado.

 
Um alemão deseja um interlocutor.

A francesa se queixa do calor.

E o norueguês não encontra o caminho de casa.

As praias estão poluídas.

O diálogo não se faz, embora a mímica ajude.

Copa do mundo? Onde? Quando?

Começou. Vai começar. Acabou.

Talvez, a hospitalidade seja o fruto da resistência!
 
 
3.
 
Nenhum oceano a ver,
 
apenas um mar negro de óleo!
 
Pássaros enlameados:
 
negro petróleo.
 
No movimento do tempo
 
não vejo nada claro.
 
Em solidão... os homens.
 
Qualquer um.
 
Um.
 

PS. Em breve no livro da 7Letras Outonos
                                            [montagem incompleta]  
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário