sábado, 9 de agosto de 2014

Blog do NOBLAT - Brasília, 9 de agosto de 2014.

Enviado por Karenina Moss -
7.1.2008
 |
23h18m
POEMA DA NOITE

Nos jardins de Nîmes (fragmento) - Solange Rebuzzi


uma árvore tem quatro chãos
o vazio do poeta
o vento dos sinos
os s(s) e n(s) dobrados
correntes e asas
de palavras a serem ditas;
uma pétala nos céus esquecidos das vogais?

Dominique Fourcade leu versos
no Centro George Pompidou
- poemas escritos a partir de uma foto:
um americano e um iraquiano

(eu soube que Juan Miró pintou
quadros a partir de poemas)

alguns versos são escritos
para serem lidos sem paginação sem tempo
são escritos enquanto as areias e os ventos se movem
barulhos da rua invadem as passagens

vozes (fora do poema?)

a tela do computador é água,
disse-nos o poeta Armando Freitas Filho


respiro


Solange Rebuzzi nasceu no Rio de Janeiro em 1951.Estudou Psicologia na PUC-Rio, na década de 70, no calor dos movimentos estudantis e das manifestações que se configuravam como experiências políticas. Publicou "Leblon, voz e chão" e o ensaio "Leminski, guerreiro da linguagem" (7Letras).


Agradeço a publicação do fragmento do poema "Nos jardins de Nîmes" no blog do Noblat. Publicação feita em 2008 e, agora, em 2014 novamente. Este poema foi publicado inteiro pela primeira vez, em 2006, na revista Poesia Sempre da Biblioteca Nacional. E, depois, nos livros Estrangeira (2010) e Outonos [montagem incompleta] (2014).

Nenhum comentário:

Postar um comentário