fotos de arquivo

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Escrevo:

Na quarta-feira de cinzas leio Annie Ernaux em Retour à Yvetot (éditions de Mauconduit), que comprei no verão de 2013 em Paris. O livro, impresso em junho de 2013, traz fotografias do arquivo privado da escritora. Paguei 9 euros.
Annie passou parte da infância em Yvetot na Normandia. A pequena cidade faz parte de sua escrita, e alguns de seus livros contam as idas e voltas da memória a essa pequena cidade. La place (Gallimard,1983), Une femme (Gallimard, 1987) e Se perdre (Gallimard, 2001) mais especialmente. Porém desde Armoires vides (Gallimard, 1974), o primeiro livro, a ville já estava presente no texto.

Comecei a pensar em escrever um novo livro durante os dias de carnaval. Não necessariamente lendo Annie, mas organizando uma pequena viagem de férias. O mais impressionante é que já montei a “boneca” do livro. E para os que desconhecem o termo (aprendido no convívio com a editora 7Letras) eu o explico. No papel pode-se muito! Vejamos: a ideia nasce e toma corpo, também, de fora para dentro, claro!

Assim, transformei alguns dias de descanso em criação...
e a próxima viagem de férias em escrita!


Nenhum comentário:

Postar um comentário