sábado, 28 de novembro de 2015

Miséria invisível (fotos + poesia)






                                         Fotos de José Eduardo Barros da série "Miséria Invisível".
                             (Fotos já expostas em Diamantina durante o Festival de Inverno da UFMG, em 2002)


Silêncio:

escondida na manhã
a criança - entre
as caixas de papelão -
ainda dorme
a esquina não aparece 
na fotografia em cor
um ângulo escapa
da retina
e surpreende
do chão ao traço

(versos escritos hoje, 28.11.2015)

100 milhões de crianças de rua

100 milhões de crianças de rua



África, Índia,

Rússia, Peru

e Brasil.

Entre os países que somam

as inúmeras crianças que

vivem nas ruas 

marchamos.

Desamparo, frio, fome.

Miséria. Guerra/ война.

Esclavitud.


Lançadas ao mundo adulto

crianças e jovens sem formação.

Despreparadas.

Algumas (muitas) de nossas crianças

vivem ao léu…



Ler e pensar podem abrir as margens do mundo.



Isto não é um poema!




PS: escrito na manhã do dia 28 de novembro de 2015.


sábado, 21 de novembro de 2015

Poema sem título

As letras acordam na manhã.
Reviram-se ao longo do dia.
De repente se encontram na trilha
aberta do poema que começa.

Um par de botas gastas e os ossos
de olhos bem abertos no cenário
parisiense atual contagiam.
O medo participa do verso!


                                                             (para meus amigos franceses)


Rio de Janeiro, 21 de novembro de 2015.


sábado, 14 de novembro de 2015

A Guerra chega em Paris!



A Guerra na Síria, onde também o Estado Islâmico é atacado, “retorna” - por efeito de vingança - aos parisienses.
Tão longe… tão perto! Um horror que assusta e assombra a noite de Paris! E, sobretudo, assusta ao mundo ocidental!

O caos se instala como em um momento de Guerra. Vimos nas imagens televisivas centenas de mortos e feridos espalhados pelas calçadas. Me parece que como os Estados Unidos da América já recebeu seu quinhão de morte e violência com o ataque às Torres Gêmeas, no início do sec XXI, agora, estamos sofrendo os ataques feitos à França.

O combate que a França trava se engajando na Guerra contra o terrorismo é nomeado “contra à barbárie” e à selvageria djarista. Ele é apoiado por outros países do mundo.

Agora, surgem palavras de apoio e solidariedade para dizer a esta Nação, que sempre nos ensinou os princípios humanos que regem nosso universo intelectual - afetivo, o quanto estamos próximos.


Mas, não deixemos que o ódio passe a reinar em nossas mentes e em nossos corações!





Rio de Janeiro,  manhã de 14.11.2015.