fotos de arquivo

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Respirar

Ainda procuro respirar profundamente.

O sol não se desprega do horizonte

e o traço antecipa o dia.

A China - na manhã de ontem -

protegia-se com máscaras para respirar.

O CO2 cobria as mentes

et les visages étaient aturdis:

surpreendidos na escura bruma.

Na metade corroída pela ganância

não se pensa nada.

Na outra metade

há a tosse tosse tosse!

No Brasil havia um rio que era doce.

Agora, corre veloz a mousse ocre  

e alcança o mar. Carrega numerosos peixes

e árvores frondosas na estranha correnteza.

Animais e homens foram enterrados vivos.
  
Na África, na costa norte, as areias partem

rapidamente com o vento

desmembradas dos vilarejos.

No Egito costumam dizer:

 “o rio Nilo faz parte da família”.

No Brasil havia, sim, um rio Doce!



Árvores nossas de cada dia,

rogai por nós!





Rio de Janeiro, 30 de novembro de 2015.


Nenhum comentário:

Postar um comentário