segunda-feira, 18 de abril de 2016

Na Câmara em cena


                                                                                   “Meninos, eu vi! ”               
                                                                                                      Gonçalves Dias


Difícil acompanhar as imagens que desfilavam na tela da tv.
O cenário bem podia ter sido de cinema, mas não era. Estavam transmitindo ao vivo a  votação que definiria a continuação ou não de um Governo. Mas, os senhores e as senhoras – vestidos de acordo com o momento – comportavam-se de forma desapropriada. Permaneciam de pé como se estivessem em uma festa, e falavam ao mesmo tempo. Alguns até se postaram junto ao microfone definindo seu voto e, dali, não arredavam mais o pé.
O que é isso?
Alguns Deputados pareciam meninos de calça curta fazendo pose para as filmadoras, buscando “fazer” bonito.
Consegui assistir toda a transmissão da Band, mesmo pensando que era um pesadelo conhecer os nossos deputados diante de uma situação tão grave. Muitos deles se mostravam tão despreparados para a função, alguns não sabiam nem se expressar!
A Torcida pelo impeachment da presidente do Brasil era confundida com o momento e em mostração midiática comentada por alguns até na hora do voto.
Hoje, estou silenciosa.
As cenas vividas, ontem, pela Nação nos apresentaram a ‘cara’ de nosso país, seu corpo político, a falta de postura e ética!
Qualquer que seja o presidente de nosso povo daqui para frente continuará a ser difícil. Tudo indica que teremos por lá, durante algum tempo, uma “Raposa velha”. E, não podemos esquecer que ainda teremos que resolver o destino do homem desonrado; o que presidiu a Cena de um Domingo inesquecível na Câmara dos Deputados.
Retomo versos de Gonçalves Dias no seu poema “I-Juca Pirama”:
"Corram livres as lágrimas que choro,
Estas lágrimas, sim, que não desonram."

Pois, lamento muito em tudo isso, sim, os meninos que eu vi por lá!

                                                                                                  S.R.

Nenhum comentário:

Postar um comentário