terça-feira, 30 de agosto de 2016

Saudações

Quem se lembra de Henriqueta Lisboa?

Ela nasceu em Minas Gerais em 1901 e morreu em 1985.
Foi poeta, professora, pesquisadora e tradutora. Traduziu Cantos de Dante e poemas de Mistral. Suas Antologias circulavam nas Escolas, e no Ginásio, em minha época de estudante, aprendíamos e recitávamos alguns de seus versos com entusiasmo nas aulas de português.
Com a chegada de Ferreira Gullar à Academia Brasileira de Letras aproveito para saudá-lo e, também, saudar Henriqueta que foi a primeira mulher a entrar para a Academia Mineira de Letras.

A menina Selvagem
                              Para Ângela Maria
                                       
menina selvagem veio da aurora
acompanhada de pássaros,
estrelas-marinhas
e seixos.
Traz uma tinta de magnólia escorrida
nas faces.
Seus cabelos, molhados de orvalho e
tocados de musgo,
cascateiam brincando
com o vento.
A menina selvagem carrega punhados
de renda,
sacode soltas espumas.
Alimenta peixes ariscos e renitentes papagaios.
E há de relance, no seu riso,
gume de aço e polpa de amora.
 

Reis Magos, é tempo!
Oferecei bosques, várzeas e campos
à menina selvagem:
ela veio atrás das libélulas.

                                      H.L.

Nenhum comentário:

Postar um comentário