segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Escrevo a caminho de Roma

O trem desliza lento ao lado do mar de Veneza.
O silêncio se impõe. O dia cinza frio outonal.
Estamos sentados um diante do outro.
Revi Veneza em um final de semana.
Dentro do vaporeto as línguas batiam o som.
Chineses de negro. Europeus de jeans.

O trem desliza em alta velocidade.
O silêncio do campo corre ao lado.
Padova apenas visível na estação.
Verdes múltiplos. Verdes vivos.
As montanhas fumaçam. Longe.
Desconhecidas paisagens.

Desliza no campo em meio a névoa
o trem italiano. Pássaro sem asa.
Sobrevoa o verde, Verdi.
Não há mais o longe.
Mínimas casas colorem bem de perto
o olhar curioso.

Bologna entre os trilhos.
Do not cross the railway lines.
Paredes cheias de grafites. Casas
de tijolinhos. Janelas verdes.
O cinza corre alto no céu.
Pássaro sem asa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário