sábado, 17 de dezembro de 2016

Poesia inédita

crianças órfãs vagam
ruas da Síria; labirintos
pedras nuas
olhos vagos
olhos vastos
escuro dia
nuvens de poeira
palavras poucas
roucas
fumaça e fogo
tudo é sombra
cinzas nos corpos
crianças órfãs
roupas ralas
poeira e chão




Rio de Janeiro, na madrugada de 17 de dezembro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário