fotos de arquivo

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Poema inédito

Um gesto de ar
no movimento da boca e da língua.
Uma ação reflexa?
Um sopro.
Nossos gestos marcados pela emoção
testemunham algo do vento?
A cidade respira em meu corpo.
O ar visceral
o sopro do vento
o silêncio.


Escrito em 13.04.2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário