Somos a favor do porte de livros!
Somos a favor da economia verde!
E vamos dar voz aos nossos índios!

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Poema em exercício

1.
Faz frio no Rio.
Um frio intenso arde entre os ossos nas costas.
A mulher está sob a marquise da esquina.
O cão felpudo e sem banho agasalha.
Pouco importa. Chove.
O arrepio maior é de fome. A cachaça engana.
O mundo ao redor gira.
Não há mais as lembranças de
ontem. Na rua ruídos atordoam.
Os homens passam. Vida sem cor.


2.
Em Brasília os homens correm em torno do Poder.
Nem se percebem fantasmas. Fantoches de si mesmos.
Nada importa na cena conhecida.
O drama dos outros homens é ficção para os homens sem medida.
A cor e o sabor de ontem se desfazem.
Os homens passam. A vida anda.
A paciência vem em consolo de aprendizado difícil.
Uma responsabilidade a cada dia e a reflexão
(em exercício) desmontam o cenário rarefeito.
Faz frio no Rio.




Mês de agosto de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário